segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cocaína & Cultura

Ultimamente tenho sentido na pele a capacidade - e o poder - que as vivências culturais possuem de prevenir comportamentos de risco e promover saúde e "qualidade de vida".

É batata.

Os sentimentos de pertencimento e completude - misturados com uma boa dose de endorfina e dopamina - produzem uma sensação única. Indescritível. A gente se sente bem com "pouco".

A minha rua foi pavimentada. A praça que têm na frente de casa foi reformada. É possível exercitar-se com mais dignidade. E de "graça".

Hoje vi um mendigo correndo. Estava ouvindo John Mayer Trio. O olhar dele me fez acreditar que pensava em alguém ou alguma coisa muito especial. Seu olhar refletia o olhar de uma outra pessoa, uma mulher. Dona de um olhar verde, profundo. O drogado parecia alucinar ao lembrar do cheiro único daquela pele macia.

E ele por várias horas aparentava não pensar em mais nada além de chegar em seu barraco, tomar um chá de erva doce, ler algumacoisapertinente e dormir.

Será que é tão difícil assim de entender?

2 comentários:

cesaun disse...

será mesmo que ele queria ler uma coisa pertinente? sera que ele queria tomar um chá ao inves de um prato de comida ?

Tatiane Lemos disse...

nossa!